Museu Arqueológico da Lapinha

                Museu do Castelinho

 

    O Castelinho teve sua construção iniciada em dezembro de 1970 projetado por Mihály Bányai com o objetivo de abrigar o patrimônio arqueológico da cidade de Lagoa Santa. Com 110 metros de área construída, possui 4 torres com cerca de 5 x 5 metros, 2 andares, 1 andar expositivo e o segundo pavimento com 3 quartos para depósito, aposento dormitório e sala de arquivos; a quarta torre abriga escadaria para o acesso. Possui ainda duas pequenas torres centrais (1,70 x 1,70), uma serve de banheiro e a outra de cozinha. A escolha do formato de castelo se relaciona com a história de vida do fundador que era húngaro e na Hungria bem como em toda a Europa, existiam muitos castelos que serviam de espaço museais, e ainda historicamente falando os primeiros museus surgiram dentro de castelos a partir de coleções privadas de nobres (Museus Gabinetes), portanto, assim como os primeiros museus surgiram dentro de castelos o primeiro museu de Lagoa Santa também alojado dentro de um Castelo!

Mihaly decidiu construir um museu para a cidade, pois tinha constatado que a grande fama de Lagoa Santa como Berço da Arqueologia e Paleontologia Brasileira ficaria apenas na fama. Peter Lund levou embora 12.000 fósseis da fauna pleistocênica, muitos outros pesquisadores vieram a Lagoa Santa fazer escavações e tudo o que encontravam levavam embora para seus estados, países e instituições de origem. Cita-se o próprio caso do famoso fóssil denominado de “Luzia – a mulher mais antiga do Brasil”, encontrada em Confins (naquela época Distrito de Lagoa Santa no ano de 1975) e que tal fóssil hoje se encontra na reserva técnica do Museu Nacional no Rio de Janeiro, ou seja, inacessível ao público visitante.

Sr. Mihaly como foi conhecido, criou o Museu para que as gerações futuras da cidade e especialmente da comunidade de Lapinha pudessem conhecer a história de sua região, de seus antepassados através de um material palpável, e não através somente de imagens e do ouvir falar. Ao contrário do que os cientistas e autoridades da época que afirmavam que aquele material coletado por ele não tinha valor e nem importância ele acreditou no seu valor e na sua importância, e estudioso da arqueologia que era ele não desistiu de ajuntar tal acervo. Atualmente foi reconhecido pelo Ministério Público Federal como “Pioneiro na preservação do patrimônio arqueológico do Estado de Minas Gerais, especialmente da cidade de Lagoa Santa” – cidade referência mundial para a ciência desde o século XIX.

 

O Museu Arqueológico foi inaugurado em 05 de maio de 1972, com apenas a metade da construção terminada e possuindo em sua exposição cerca de 1.200 peças entre elas 3 fósseis humanos da Raça do Homem de Lagoa Santa... a famosa raça de homens descoberta por Peter Lund em 1842 na Lapa do Sumidouro.

 

Em 2014 o Museu completou 42 anos de serviços prestados à cultura brasileira. Hoje o acervo arqueológico está contado em torno de 4.500 peças: entre elas 8 fósseis humanos originais, com 2 esqueletos completos do famoso “Homem de Lagoa Santa”(12.000 anos); 400 ferramentas líticas – machados, pilões de pedra, pontas de flechas, quebra-cocos –(idade de 12.000 a 300 anos) considerado pelos arqueólogos que estão inventariando o acervo como a maior coleção do Brasil; 9 machados semilunares – instrumentos pertencentes aos extintos índios sapucai, raríssimos e considerados instrumentos sagrado até hoje por índios de todo o Brasil; colares de madrepérola produzidos à 1.000 anos.

Atualmente a responsável pela administração do Museu é a filha de Mihály: Erika Suzanna Bányai. Ela assumiu desde 2002 em caráter temporário quando Mihály adoeceu. Com o falecimento do fundador do Museu em 06 de julho de 2005, Erika assumiu definitivamente a direção do Museu. Formada em História e em Administração de Museus (UNESCO), especialista em arte pré-histórica e também Educadora em Museus.

O Museu do Castelinho é o único com atividades de Educação Patrimonial e Ambiental permanente na cidade de Lagoa Santa e destaca-se em relação à Capital Belo Horizonte, as Escolas da Comunidade são as únicas que tem permanentemente Educação Patrimonial em toda a cidade!

O Museu do Castelinho funciona de terça a domingo e está localizado ao lado da Gruta da Lapinha.

Para mais informações: 31 91587211 - erikapunzel@gmail.com

Texto: Erika Bányai

Fotos: Portugal Braga

(31) 3689-8442

 

(31)998313107

 

portugalbraga@grutadalapinha.com.br​
 

Endereço​​​​​​: Rua Argentina, 588, Gruta da Lapinha - Lagoa Santa - MG

  • Instagram
  • Facebook

© 2019 - Escalarte